PREVIDÊNCIA: Fenafisco critica regime de capitalização na Câmara Federal

14 Fevereiro 2019

O presidente da Fenafisco Charles Alcantara e os diretores Celso Malhani (Aposentados e Pensionistas) e Francelino Valença (Formação Sindical), participaram de mais uma reunião preparatória na Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira (13), para articular o relançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência, colegiado suprapartidário de senadores e deputados federais que darão sequência às ações em defesa da manutenção dos direitos sociais, da gestão transparente da Seguridade Social e do equilíbrio financeiro e atuarial da Previdência Social pública.

A reunião coordenada pelo senador Paulo Paim (PT-RS) e deputado Rodrigo Coelho (PSB-SC), contou com a presença de parlamentares, sindicalistas e representantes de entidades do serviço público e privado. Na pauta estratégias para barrar as tentativas de desmonte da Previdência Social.

Na ocasião Malhani, destacou a preocupação das entidades em relação aos trabalhadores, caso o regime de capitalização integral de aposentadoria - idealizado pelo ministro da Economia Paulo Guedes, seja incluso na proposta de reforma da Previdência. “Isso significa a ausência absoluta de financiamento para pagamento dos benefícios previdenciários daqueles que já estão aposentados e outros milhões que estão para aposentar-se”.

Malhani criticou a falta de esclarecimentos por parte do governo acerca do projeto, no que versa ao financiamento, pagamento dos benefícios e período de transição nos próximos 30 anos, ao sinalizar implantação da capitalização no sistema. “Será zerada a entrada de receita, pois os jovens que entrarão no mercado de trabalho deixarão sua contribuição nos bancos, se essa proposta for inclusa no projeto, eles (governo) terão que explicar”, disse.

O presidente da Fenafisco, Charles Alcantara, também criticou o regime de capitalização proposto e inspirado na trágica experiência chilena: “Uma velhice digna é um direito humano. Está sendo construído no Brasil um projeto que vai jogar nosso povo trabalhador ao desamparo, a exemplo do que foi feito no Chile, país com alto índice de suicídio na terceira idade, consequência do descaso com seus idosos em relação à aposentadoria”, lamentou.

Para Alcantara é necessária grande mobilização da sociedade, movimentos sociais e das entidades representativas dos trabalhadores junto ao Congresso Nacional, no sentido de sensibilizar os parlamentares a negociar com o governo. “Nós estamos vivendo um momento de radicalização da captura do Estado pelo mercado financeiro, que está no comandando da economia. Se não conseguirmos tomar as ruas desse país, as condições serão muito adversas”, alertou.

O relançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência Social está agendado para 20 de março, no auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados e contará com a realização de seminário, com a participação de especialista em previdência chilena.

Ao longo de fevereiro deputados, senadores e entidades continuarão promovendo reuniões semanais, às quartas-feiras, com o objetivo de fortalecer as bases do colegiado em prol da Previdência Público.

Ler 408 vezes Última modificação em Sexta, 15 Fevereiro 2019 12:22