A importância e o trabalho dos Auditores Fiscais foram destaques na primeira Webinar do Sindifisco-PE

22 Setembro 2020

Nesta segunda-feira (21), Dia do Auditor Fiscal, o presidente da Fenafisco, Charles Alcantara, participou de videoconferência promovida pelo Sindifisco-PE, para contribuir no debate sobre economia, Administração Tributária e o papel do Fisco no contexto da pandemia de Covid-19. Também participou da live o presidente do sindicato, Alexandre Moraes, ao lado do secretário da Fazenda de Pernambuco, Décio Padilha, do diretor-Presidente da Agência de Empreendedorismo de Pernambuco (AGE), Marcelo Barros, e do deputado estadual Antônio Moraes (PP).

Na oportunidade, Alcantara falou da importância do servidor, e disse que o dia era especial para se refletir sobre o papel da categoria, que vai além da atividade pública, devido a responsabilidade social para com a população. O presidente explicou que o combate à sonegação é primordial para angariar recursos à serem aplicados em políticas públicas, mas que é preciso ir além, defender a justiça fiscal e se engajar nas demandas da população.

“Não basta cumprirmos muito bem e fielmente as nossas funções, é preciso questionar o sistema, senão vamos apenas reproduzi-lo e legitimá-lo, e o modelo tributário brasileiro é regressivo e penoso sobre os mais pobres, em contrapartida não tributa as altas rendas do país, e nós devemos combater isso, pois creio que é essa postura que a sociedade espera”, afirmou.

Segundo Alcantara, a partir da promoção de justiça fiscal e tributária será possível maior reconhecimento social e aproximação da sociedade com o trabalho do Fisco. “As pessoas, em sua maioria, nem sabem da existência dos auditores fiscais, ou até mesmo associam a injustiça da tributação no Brasil com a função do profissional, como sendo um ator responsável por perpetuar o que é injusto”, explicou.

ECONOMIA

Padilha explicou que o problema econômico do Brasil é estrutural, resultante da queda do PIB de -1,5% no primeiro trimestre e de 9,7% no segundo, decorrente da crise social e sanitária provocada pela pandemia.

Outro grande problema que o secretário ressaltou, foi a alta do dólar, que diminuiu as importações, tendo como consequência a redução na arrecadação das receitas para os estados. Segundo ele, somente no mês de maio a queda foi de 34% nominal da arrecadação, isso significou 429 milhões de reais à menos nos cofres públicos, com projeção média de 1,7 bilhões de reais até o final do ano.

“Tenho que elogiar nossos auditores fiscais, porque estão bravamente trabalhando para amenizar os impactos da pandemia, que por mais que tenham estudado e se preparado, em meio à essa situação, isso se torna um processo muito delicado e complicado, mas estão contribuindo bastante com o estado, para ajudar a equilibrar os gastos e as receitas”, exaltou o secretário.

Para a retomada da economia, Padilha defendeu uma reforma tributária ampla, e citou o projeto elaborado em conjunto pelo Consefaz como proposta para reformar a matriz tributária brasileira, além de defender a criação de um tributo globalizado (tributação digital), de base ampla que se conecte com o mundo inteiro. Por fim criticou o projeto do governo, apresentado de forma fatiada, sem contemplar, até então, estados e municípios, focando apenas no âmbito da União.

O evento foi transmitido pelo canal oficial do Sindifisco-PE no YouTube, mediado pela jornalista e apresentadora Isly Viana.

CONFIRA A ÍNTEGRA DA WEBINAR

Ler 40 vezes