Arrecadação cai 2,97% e fica em R$ 1,289 trilhão em 2016, diz Receita Federal

30 Janeiro 2017

A arrecadação de impostos e contribuições federais chegou a R$ 127,607 bilhões em dezembro e somou R$ 1,289 trilhão no período de janeiro a dezembro de 2016. Os dados foram divulgados hoje (27) pela Receita Federal.

Na comparação com dezembro de 2015, houve queda real (descontada a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA) de 1,19%. Levando em conta o período anual, a cobrança também caiu, registrando um recuo real de 2,97% em relação ao ano de 2015.

Reunião na Fenafisco define mobilização unificada

30 Janeiro 2017

Na quarta (25), na sede da Fenafisco, em Brasília, representantes das entidades que compõem o Comando de Mobilização contra a Reforma da Previdência (PEC 287), se reuniram para definir os encaminhamentos do movimento para barrar, no Congresso Nacional, as mudanças propostas pelo governo.
Participaram da reunião os colegas Francelino Valença (Diretor Formação Sindical e Relações Intersindicais) e Celso Malhani (Diretor de Aposentados e Pensionistas), representando a diretoria da Fenafisco. E estiveram presentes representações do Sindifiscal–MS (Rodrigo Falco), Sinprotaf–MT (Zilbo Fortes), Sindifisco–GO (Helena Sato), Sindafep–PR (Marco Petrocini), Sindifisco-MG (Lindolfo Castro), Sinaffepi-PI (Bruno Carvalho), Sindifiscal-MS (Soares), Sindifisco-SC (Leandro Daras), Sintaf-CE (José Oliveira, Pedro Vieira e Yvelise Saces).

"É o próprio governo que provoca o déficit da Previdência", alerta economista

30 Janeiro 2017

Ao não cobrar sonegadores e conceder renúncias fiscais, a União alimenta o problema que diz combater, avalia Denise Gentil, da UFRJ

A reforma da Previdência proposta por Michel Temer no fim de 2016 tem como objetivo oculto privatizar o setor. Essa é a avaliação da economista Denise Gentil, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

União vai propor ao Congresso reforma tributária fatiada

30 Janeiro 2017

Projeto deve ser enviado somente no fim deste semestre, depois da votação das novas regras da Previdência; nove tributos seriam extintos

O presidente Michel Temer vai patrocinar a votação de uma reforma tributária pelo Congresso Nacional, mas o governo descarta, nesse primeiro momento, apoio à mudança radical nos impostos e contribuições cobrados pela União, Estados e municípios.