SINDIFISCO-MG | Vídeo gravado pelo presidente criticando atraso no pagamento do 13º repercute na mídia

19 Fevereiro 2021


 

Na ALMG, deputados cobram transparência do governo e reivindicam que a SEF/MG apresente documentos informando valor disponível em caixa

A coluna Além do Fato, assinada pelo jornalista Orion Teixeira e veiculada no Portal Uai, repercutiu hoje a divulgação do vídeo gravado pelo presidente do Sindifisco-MG, Marco Couto, criticando o atraso no pagamento do 13º dos servidores e reafirmando a existência de recursos no caixa do Estado. A divulgação do vídeo ocorreu no mesmo dia em que o governador Romeu Zema anunciou nas suas redes sociais que o restante do 13º será pago em parcelas mensais de R$ 1.000,00. Na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, os deputados também reagiram ao anúncio do governador e o assunto ganhou destaque no site da ALMG.

Orion Teixeira chamou atenção para o fato de que em abril o governo terá pago cinco parcelas do 13º, num total de R$ 7.000,00, e ainda continuará devendo o restante do salário dos servidores que ganham acima desse valor e não têm ideia de quando receberão. O jornalista citou declarações dos presidentes do Sindifisco-MG e da Affemg criticando o tratamento do governo com o funcionalismo. Marco Couto observou que o governo age como se pagar 13º fosse um favor e não obrigação do empregador e apontou má-fé por parte do governo, uma vez que está comprovada a existência de recursos.

No site da ALMG, o destaque foi a reação dos deputados ao anúncio do governo. Segundo o veículo, o deputado Professor Cleiton (PSB) solicitou à Secretaria de Fazenda de Minas Gerais, via requerimento, que seja informado o valor disponível em três contas do governo estadual no dia 1° de fevereiro e apresentados documentos com o fluxo de caixa. Ele chegou a citar as denúncias feitas em vídeo pelo presidente do Sindifisco-MG. O vídeo também foi mencionado pelo deputado Sargento Rodrigues (PTB), que citou dados fornecidos pelo presidente do sindicato para criticar a posição do governo em relação aos servidores.

Fonte: Sindifisco - MG

Ler 16 vezes