Sindifisco-MT promove painel sobre Reforma da Previdência, Política e Cidadania

04 Setembro 2018

Para tomar decisões e assumir posturas é preciso estar bem informado. Foi com esse pensamento que o Sindicato dos Fiscais de Tributos Estaduais de Mato Grosso (SINDIFISCO-MT) promoveu nesta sexta-feira (31 de agosto) o painel “Reforma da Previdência, Política e Cidadania”. Os assuntos foram abordados por Celso Malhani e Francelino das Chagas Valença Junior, representantes da Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (FENAFISCO) que já vem tratando dos temas por todo o país.

Diretor de Aposentados e Pensionistas da FENAFISCO e presidente do SINDIFISCO-RS, Celso Malhani de Souza, falou sobre a Reforma da Previdência que tramita no Congresso Nacional e que deve ser votada assim que a intervenção federal terminar no Rio de Janeiro. É um assunto que conhece muito bem já que ele vem acompanhando todo o processo junto ao Legislativo federal.

Celso também falou sobre a previdência complementar implantada em seu estado, o Rio Grande do Sul. “Infelizmente é uma tendência revelada no Brasil que já é acompanhada pela absoluta maioria dos países no mundo, que é caminhar para que o próprio trabalhador forme as suas reservas para quando for descartado pelo sistema econômico que lhe usou a vida inteira. E não protegido por esse mesmo sistema, que seria a regra”, disparou.

Francelino Valença fez uma retrospectiva dos modelos políticos adotados ao longo da história no país e falou sobre alguns conceitos utilizados por agentes econômicos com a intenção de se apropriar do estado para os próprios fins. Um estado que estaria cada vez menos ocupado com o bem-estar social e cada vez mais interessado num modelo privatista, que transfere renda dos pobres para a classe dominante, definiu.

Diante de quadros como esse, Francelino lamentou que os temas “política” e “cidadania” não sejam discutidos concomitantemente. Nesse sentido, ele falou sobre o importante papel que todos têm nessas discussões. “Temos que ser transformadores dessa realidade e tentar despertar essa consciência de nos envolvermos juntos, como sociedade, para colocar o Estado de volta no caminho originário, conceitual, um estado livre de ingerências”, conclamou. “Não nos interessa partido político A, B ou C, interessa a estrutura política como um todo. O poder econômico não está preocupado com ideologia partidária e sim com os frutos que ele pode colher quando faz alguma ingerência política”, alertou.

O presidente do SINDIFISCO-MT, João José de Barros, reforçou o objetivo do painel. “Está dentro da política do Sindicato de trazer informações para que cada filiado firme um posicionamento, porque são situações de extrema importância para nossa carreira, não só dos fiscais, mas também de todo o servidor público, refletindo inclusive para a sociedade”, avaliou.

Já o vice-presidente do SINDIFISCO-MT, Flávio Emílio R. Auerwald, fez um apelo aos participantes no sentido de multiplicar essa consciência: “quero pedir aos colegas que aqui estão que, de alguma forma, nos ajudem a convencer no dia a dia, na conversa com colegas e aposentados, da importância de estarmos inseridos nessas discussões e ampliarmos esses debates”. Ele lembrou que não adianta ficar lamentando ou “chorando sobre o leite derramado”. “A gente precisa muito da participação dos colegas de uma forma colaborativa na formatação das ações de interesse da categoria”, exemplificou.

Fonte: Pau e Prosa Comunicação via Sindifisco - MT

Ler 286 vezes