Sinafresp-SP | Em reunião, AFRs da Sede votam linhas de trabalho para a luta salarial

20 Janeiro 2020

Posicionamento e propostas da unidade serão levados à reunião do Conselho de Representantes deste sábado

Na tarde de ontem (13), os agentes fiscais de rendas (AFRs) da Sede realizaram a reunião de base preparatória para o próximo encontro do Conselho Deliberativo do Sinafresp, que acontece neste sábado, 18 de janeiro, na capital paulista.

Representada pelo presidente Alfredo Maranca, pelo vice-presidente Glauco Honório, pelo tesoureiro Guilherme Jacob e pelo diretor de assuntos jurídicos Victor Augusto Lins Mendes, a diretoria do Sinafresp participou da reunião dos colegas no auditório do 17º andar da Sede.

Realizada no início do ano, período em que muitos colegas estão de férias, a reunião teve presença de cerca de 70 pessoas e foi importante para debater o posicionamento e as linhas de trabalho da categoria para 2020, perante a falta de solução para os problemas salariais enfrentados.

O representante sindical Roberto Lopes de Carvalho conduziu a reunião destacando que o objetivo era apontar novos caminhos para a luta sindical e consolidar a posição e as propostas da unidade para serem levadas ao Conselho de Representantes. 

Alfredo Maranca e Glauco Honório relataram as estratégias relacionadas à luta pelo teto salarial no âmbito judicial e político, por meio de emendas a propostas em tramitação no legislativo federal (reforma tributária) e estadual (reforma da Previdência de Doria).  

“Temos que refletir e votar nas propostas de mobilização conforme o que ‘eu’ estou disposto a fazer e não no que o outro pode fazer. As propostas devem espelhar o que realmente cada um irá fazer para que nossas ações tenham êxito”, destacou o presidente do Sinafresp, Alfredo Maranca.

Alguns presentes também fizeram uma reflexão crítica em relação às ações de 2019, no sentido de que para as ações serem aprovadas, a categoria deve estar disposta a se engajar efetivamente nelas. Houve ainda apresentação de sugestões por colegas. 

Foram debatidos os seguintes pontos:

A categoria está disposta a realizar ações?

Os colegas da Sede manifestaram que estão dispostos a participar de ações de mobilização.

Quais ações devem ser realizadas?

– Reuniões de base recorrentes: sim.

– Realização de reuniões periódicas do sindicato com a administração com o objetivo de pressionar pela resolução dos problemas da categoria: sim.

– Operação padrão: os colegas da Sede consideram necessário iniciar primeiro outras ações de mobilização até que o envolvimento de cada um na luta cresça e haja a evolução das ações, de forma que a necessidade da operação padrão e de ações mais contundentes surgirão naturalmente na própria base. Assim, o movimento da categoria irá gradualmente crescer.

– Ações que não dependem da categoria, como a publicação de artigos críticos pagos: sim, o Sinafresp deve fazer.

O vice-presidente do Sinafresp, Glauco Honório, ainda ressaltou que o êxito de estratégias que não dependem do engajamento direto da categoria, como as conversas com a administração ou os artigos críticos, também está relacionado à percepção do governo de que a classe está insatisfeita e disposta a se mobilizar.

A diretoria do Sinafresp estimula os colegas das regionais a se reunirem também em suas unidades, de forma que os representantes possam trazer uma posição e propostas consolidadas para a reunião do Conselho.

Fonte: Sinafresp

Ler 23 vezes