Blog Item

Campanha publicitária do SINAFFEPI questiona deputados sobre a Reforma da Previdência

O SINAFFEPI – Sindicato dos Auditores Fiscais da Fazenda Estadual do Piauí lançou uma campanha publicitária com o objetivo de envolver a sociedade e de pressionar os deputados federais da bancada piauiense a votarem contra a Reforma da Previdência.

Veiculada nas redes sociais Instagram e Facebook; em outdoors espalhados pela cidade de Teresina; e no painel de LED que interliga as avenidas João XXIII e Frei Serafim, a campanha traz o mote: “Quem vota a favor da Reforma da Previdência, vota contra o povo brasileiro”, e questiona o posicionamento dos deputados federais piauienses acerca da PEC-287, que trata da Reforma da Previdência.

Para Caetano Mello, presidente do SINAFFEPI, a sociedade precisa cobrar dos deputados a representação verdadeira do seu povo. “ Esse é um momento de luta, em que toda a sociedade precisa se engajar para barrar essa atrocidade à classe trabalhadora e a principal forma de alcançar êxito nessa batalha, é cobrando dos deputados o voto contrário à reforma. Nossa campanha foi inspirada no hot site ‘Radar da Previdência’, ferramenta utilizada pela FENAFISCO – Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital – para dar visibilidade ao posicionamento dos deputados”, esclareceu.

Fonte: Sinaffepi

 

Sindifisco-RS: Auditores-fiscais aderem à paralisação nacional

A greve geral do dia 28 de abril, que contou com a adesão de diversas categorias de trabalhadores, teve a participação dos auditores-fiscais da Receita Estadual do RS. A categoria está em luta para evitar o desmonte da Previdência Social e das leis trabalhistas. Os auditores-fiscais também tentam convencer o governo gaúcho de que existem alternativas viáveis para equilibrar as finanças do Estado sem a necessidade de vender patrimônio ou atrasar os salários dos servidores.

O Sindifisco-RS, sindicato que representa a categoria, esteve mobilizado durante toda a sexta-feira. Na parte da manhã, realizou, em conjunto com as associações dos auditores-fiscais do RS e do município de Porto Alegre, uma Assembleia Geral Extraordinária para debater os reflexos da reforma da Previdência, conforme proposto pela Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, e as alterações no sistema previdenciário dos servidores públicos estaduais.
 
O diretor de Previdênica do Instituto de Previdência do Estado do RS, Ari Lovera, auditor-fiscal filiado ao Sindifisco-RS que integrou a mesa da AGE, informou que o substitutivo da PEC é prejudicial ao serviço público. 
 
O presidente do Sindicato, Celso Malhani, apresentou uma palestra sobre as ameaças que a PEC representa para os trabalhadores. Em relação ao substitutivo, Malhani disse que as alterações não resolvem os problemas do texto original, continuando inadequado à situação atual do trabalhadores urbanos e rurais. "A questão do tempo de serviço e os cálculos para a aposentadoria também não fizeram diferença em relação ao texto original, que não é justo com os trabalhadores", afirmou o presidente do Sindifisco-RS.
 
Na rua
Às 11h, o grupo se dirigiu para a Esquina Democrática, no Centro de Porto Alegre, com a finalidade de aderir ao movimento de diversos sindicatos e centrais sindicais. O Sindifisco-RS instalou um gigantesco telão de LED e potentes caixas de som para exibir vídeos que questionavam a atual proposta de reforma da Previdência. O equipamento também exibiu o resultado atualizado [no dia 28] do Radar da Previdência, que apresenta o posicionamento de deputados federais em relação à PEC 287.
O presidente do Sindifisco-RS e o diretor de Comunicação da entidade, Christian Azevedo, falaram ao microfone para alertar as pessoas que passavam no local sobre os perigos das reformas previdenciária e trabalhista. 
Azevedo questiounou a moral de políticos investigados na Operação Lava Jato para propor e aprovar as reformas da Previdência e trabalhista. 
 
Ataques à força de trabalho
O presidente do Sindifisco-RS falou sobre a importância da união dos trabalhadores, em especial da categoria dos auditores-fiscais e demais servidores públicos, nesse momento delicado de "ameaças e ataques à força de trabalho no Brasil". A liderança questiona o motivo de a reforma não focar na solução da receita previdenciária e preferir atacar as condições de acesso aos benefícios de pensão e aposentadoria.  "O prejuízo para os trabalhadores do serviço público é enorme, por isso a nossa categoria não pode silenciar a esse ataque", afirmou o presidente, que também destacou, com preocupação, as investidas contra os direitos dos trabalhadores mais jovens. "Esse é um momento crucial para o Sindicato ir para a Esquina Democrática, contra as reformas da Previdência e trabalhista, porque essas reformas alteram direitos fundamentais à classe trabalhadora", disse o dirigente.
 
Pública
O Sindifisco-RS, único sindicato gaúcho filiado à Pública Central do Servidor até o momento [duas associações gaúchas, Fasp/RS e ASJ/RS, são filiadas], entende que a atuação junto a uma central de servidores permite fortalecer a defesa dos trabalhadores, em especial os servidores públicos. O Sindicato também atua em conjunto com a Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco), o Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate) e União Gaúcha em defesa da Previdência Social e Pública.

Fonte: Sindifisco-RS