Servidores públicos debatem papel e funções do Estado durante Seminário

Campo Grande (MS) – Para debater os desafios e aprimorar a gestão pública, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Administração e Desburocratização (SAD) e Fundação Escola de Governo (Escolagov), realiza nos dias 8 e 9 de junho, das 8h às 17h30, o 2º seminário: O Papel do Estado no Século XXI.

O evento tem como objetivo promover o debate entre os servidores e tratar sobre o papel e as funções do Estado, apresentar conhecimentos, provocar reflexões e fomentar debates sobre temas estruturantes como modelos de desenvolvimento, inovação e governança, sustentabilidade, finanças públicas, modelagem de estrutura e gestão de resultados.

Nova diretoria Executiva e Conselho Fiscal do SIPROTAF tomam posse

O SIPROTAF deu posse a nova Diretoria Executiva e Conselho Fiscal na noite do dia 2 de junho de 2017. O presidente eleito com 99% Leovaldo Antônio Duarte em sua fala avaliou como positiva a última gestão do SIPROTAF. “Foi uma diretoria que esteve atuante e presente na defesa das prerrogativas de trabalho da categoria e de muitas dificuldades mas tivermos oportunidade de estar brigando pelos nossos direitos e melhores condições de trabalho”.

Fazendários ocupam Sefaz-Bahia pela mudança na GDF

Fazendários de todo estado participaram da terceira manifestação pela mudança na Gratificação de Apoio ao Desempenho Fazendário (GDF) do Grupo Técnico-administrativo, na manhã da última sexta-feira (02), no prédio-sede da Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz-Bahia), em Salvador.

Com faixas, tambores e camisas a categoria reivindicou respostas efetivas do secretário, Manoel Vitório, sobre o andamento das tratativas com a Secretaria de Administração do Estado (Saeb) sobre o projeto da Nova GDF, elaborado pelo Sindsefaz.

O chefe de Gabinete da Sefaz-Bahia, Adriano Chagas, recebeu uma comissão – formada por diretores do Sindsefaz e representantes do segmento – e esclareceu que o projeto da GDF será incluído no documento da Saeb com reivindicações de diversas categorias de servidores estaduais, que será entregue ao governador Rui Costa nos próximos dias. Chagas se comprometeu a dar uma resposta efetiva ao Sindicato até esta quarta-feira (07).

Nova Greve Geral dia 30 de junho para buscar uma saída ao Brasil

Reunidos na manhã desta segunda (05), em São Paulo, dez centrais sindicais aprovaram a convocação de uma nova Greve Geral para o dia 30 de junho. Aprovaram a mobilização a CTB, CUT, UGT, Força Sindical, Nova Central, CGTB, CSP-Conlutas, Intersindical, A Pública e CSB.

O movimento sindical unificado, como há muito não se via, está apontando a necessidade da luta para derrubar o ilegítimo e corrupto Michel Temer, com a consequente convocação de eleições diretas para presidente, que recoloque o país no rumo da democracia e eleja um governo legitimado pelas urnas para comandar o Brasil.

A ideia das centrais sindicais é forçar o entendimento nacional de que este governo não tem mais condição de continuar, sob pena de acumularmos maiores retrocessos e tornar mais aguda uma crise que já desempregou 15 milhões de trabalhadores e tornou os brasileiros 11% mais pobres. O movimento tenta também convencer o setor empresarial brasileiro – que até agora vem sendo beneficiado por Temer com isenções fiscais, perdão de dívidas no CARF, reformas para reduzir direitos trabalhistas – que este cenário é ruim para todos e tornará o Brasil presa fácil do grande capital internacional.

É hora de retirar este governo, suspender as reformas e convocar o povo brasileiro às urnas para que este decida que rumo deve ser seguido. Uma solução fora da democracia e longe das urnas – como uma eleição indireta no Congresso - apenas empurrará a crise para a frente, piorando um quadro que já é caótico e que só prejudica os trabalhadores e a população mais pobre.

Na Bahia, o servidor público acumula 20% de perda salarial desde 2013 e o governo de Rui Costa (PT) se agarra na crise econômica como o motivo para que as negociações com os sindicatos continuem suspensas e seja mantido o Arrocho Tamanho G. Este é um cenário que já está sacrificando até os setores melhores remunerados do funcionalismo, como na Fazenda, onde os fazendários se ressentem da falta de reajuste. É uma situação insustentável.

Nos próximos dias os sindicatos convocarão suas bases em todo o país para referendar a Greve Geral e construir a mobilização conjunta. Uma prévia será o dia 20 de junho, dia de mobilização preparatório à paralisação. O Sindsefaz convocará os fazendários para participar.

Fonte: Sindsefaz - BA