Polícia prende 8 na região de Campinas em investigação sobre fraude fiscal de R$ 2,8 bilhões

04 Dezembro 2018
(0 votos)

Promotoria investiga esquema de sonegação na compra e venda de combustível. Valor deixou de ser recolhido por postos de todo o estado.

O Ministério Público e a Secretaria Estadual da Fazenda cumprem, na manhã desta segunda-feira (3), oito mandados de prisão e 16 de busca e apreensão contra fraudes fiscais de pelo menos R$ 2,8 bilhões na compra e venda de combustível. As ordens de prisão foram cumpridas em Campinas (SP), Jaguariúna (SP), Indaiatuba (SP) e Paulínia (SP).

(correção: O G1 errou ao informar que as fraudes de R$ 2,8 bilhões eram apenas na região de Campinas. Na verdade, o número corresponde a sonegações fiscais em todo o estado. A informação foi corrigida às 12h30.)

A ação corresponde à segunda fase da Operação Combustão e investiga as fraudes em postos de combustíveis e empresas de transportes de 101 municípios do estado de São Paulo. Pelo menos 250 agentes da Secretaria Estadual da Fazenda foram mobilizados para notificar pelo menos 280 empresas nesta segunda-feira.

O Ministério Público batizou a segunda fase da Operação Combustão de Borra 500. Segundo a Secretaria Estadual da Fazenda, os oito mandados de prisão nas quatro cidades da região de Campinas foram cumpridos. As ordens de busca e apreensão ainda estão em andamento.

O esquema

De acordo com o Ministério Público, o esquema consistia na emissão de notas falsas, simulando transações de compra e venda de combustível, principalmente óleo diesel. As empresas de transporte simulavam o negócio baseadas nas notas emitidas pela quadrilha e utilizavam de compensação de débitos na Secretaria da Fazenda sem recolher o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Servições (ICMS).

"As investigações apontaram indícios de que dezenas de postos de gasolina da região estão envolvidos, além de outras pessoas jurídicas, bem como centenas de empresas de transporte de todo o estado estão vinculadas às notas fiscais falsas e que foram usadas para sonegar os tributos", diz o texto da nota do Ministério Público.

A Promotoria ainda apontou que os alvos dos mandados de prisão são suspeitos de estarem envolvidos a vários grupos criminosos especializados em fraude de compra e venda de combustíveis.

A Promotoria ainda investiga a participação de outras pessoas e empresas no esquema. A operação é realizada com o apoio da Procuradoria do Estado de São Paulo, e policiais do Batalhão de Ações e Especiais da Polícia Militar (Baep).

Fonte: G1

Ler 263 vezes