Baleia quer votar reforma tributária no 1º semestre

Em visita a Porto Alegre na tarde de ontem, o candidato à presidência da Câmara dos Deputados Baleia Rossi (MDB-SP) disse que pretende dar andamento à reforma tributária ainda no primeiro semestre de 2021, caso seja eleito para dirigir a casa legislativa.

Baleia Rossi passou por Porto Alegre dois dias depois do seu adversário, Arthur Lira (PP-AL). Assim como Lira, ele se reuniu com parte da bancada federal gaúcha e foi recebido pelo governador Eduardo Leite (PSDB).

A agenda de Baleia Rossi na Capital iniciou às 14h, na Assembleia Legislativa, onde foi recebido pelo atual presidente do Legislativo Estadual, Ernani Polo (PP); o próximo presidente do Parlamento gaúcho, Gabriel Souza (MDB), que assume dia 3 de fevereiro; e membros da bancada federal gaúcha. Entre os deputados federais, estavam Alceu Moreira (MDB), Giovani Feltes (MDB), Márcio Biolchi (MDB) e Nereu Crispim (PSL).

Depois de conversar brevemente com os parlamentares, Baleia Rossi respondeu algumas perguntas de jornalistas. Na ocasião, revelou que, caso seja eleito presidente da Câmara Federal, pretende encaminhar a votação da reforma tributária.

O deputado é autor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 45) que institui uma reforma no sistema tributário brasileiro. Como a reforma proposta por ele vem sendo debatida com mais intensidade nos últimos dois anos, ele avalia que o texto já está maduro para ir ao plenário da Câmara.

"A reforma tributária, da qual sou autor (PEC 45), recebeu os ajustes necessários feitos pelo deputado Agnaldo Ribeiro (PP-PB), que é o nosso relator. Ele já fez ajustes (dialogando) com os estados e municípios, com o próprio governo federal, com a proposta que tramita no Senado, com a proposta do (ministro da Economia) Paulo Guedes. Por isso, creio que a reforma tributária está absolutamente madura para ser votada", projetou.

Baleia Rossi disse ainda que, se for eleito, quer conversar com os parlamentares - "porque não é uma decisão só do presidente da Câmara" - sobre a votação a reforma tributária até junho. "Eu, como presidente da Câmara dos Deputados, entendo que, por estarmos debatendo esta PEC há dois anos, ela está madura para ser votada no primeiro semestre".

Para o deputado federal, a modernização do sistema tributário brasileiro urge, pois pode reverter o processo de desindustrialização que o Brasil vive - o que tem culminado na saída de fábricas do País, como o caso da Ford.

Na avaliação do emedebista, a reforma trará "melhorias no ambiente de negócios, fará com que o sistema tributário esdrúxulo fique mais simples e facilitará às pessoas empreenderem no Brasil".

"Estamos vivendo um processo de desindustrialização. O caso da Ford é emblemático. Muitos segmentos sinalizam para que outras indústrias deixem o Brasil. Por isso, precisamos reagir, entregando a reforma tributária já debatida há 30 anos no Parlamento", comentou.

Apesar de ser o principal adversário de Arthur Lira - o candidato à presidência da Câmara apoiado pelo Palácio do Planalto - Baleia Rossi negou que seja um candidato de oposição. "A nossa candidatura não é de oposição. É uma candidatura muito bem colocada, para garantir a independência da Câmara dos Deputados em relação ao governo federal". Baleia Rossi é presidente nacional do MDB.

Ele projetou que, depois da aprovação da reforma tributária, vai encaminhas outras, como a reforma administrativa. "Não temos mais tempo a perder. Não podemos fazer mais uma ou outra reforma. Temos que fazer todas".

Depois do evento na Assembleia, Baleia Rossi caminhou até o Palácio Piratini, acompanhado por deputados estaduais e federais, para ser recebido pelo governador Eduardo Leite.

Fonte: Jornal do Comércio

Ler 42 vezes