Deputados pedem para Lira trocar relator da reforma tributária se for eleito

Não houve compromisso firmado

Atual relator é Aguinaldo Ribeiro

Que é próximo de Rodrigo Maia

Uma das demandas ouvidas por Arthur Lira (PP-AL), candidato a presidente da Câmara, em almoço com deputados do distrito federal nesta 3ª feira (26.jan.2021) foi a substituição de Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) por Luís Miranda (DEM-DF) na relatoria da reforma tributária, se eleito.

Apesar de ser correligionário de Lira, Aguinaldo é muito próximo de Rodrigo Maia (DEM-RJ), atual presidente da Casa e rival de Lira. O grupo de Maia decidiu apoiar a candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP), mas o nome de Aguinaldo foi cogitado como candidato até os últimos momentos.

Ser relator de um projeto dá ao deputado a possibilidade de mudar a proposta original. É uma forma de protagonismo político.

Aguinaldo é relator tanto da comissão mista da reforma tributária quanto da PEC (proposta de emenda à Constituição) 45. Se for eleito presidente da Câmara não terá poder direto sobre a comissão, que responde ao presidente do Senado e do Congresso.

Decidirá, porém, sobre a PEC 45. A proposta é de Baleia Rossi. Tanto os deputados que falaram à imprensa sobre o pedido quanto o próprio Lira disseram que não foi firmado compromisso de troca do relator.

“A gente fez uma sugestão que, caso houver possibilidade, como o deputado Luís Miranda é muito atuante nessa questão da reforma tributária, a gente entende que ele poderia ser o relator na Câmara. É um pedido que ficou para análise”, disse Julio Cesar Ribeiro (Republicanos-DF) na saída do almoço.

Os deputados do Distrito Federal também pressionam para que uma integrante tenha poder sobre outra pauta econômica. Querem que a CMO (Comissão Mista de Orçamento) sejam logo instalada e tenha Flávia Arruda (PL-DF) como presidente.

No ano passado Lira tentou emplacar a deputada no posto e causou um impasse. O grupo de Rodrigo Maia queria Elmar Nascimento (DEM-BA), como estipulava acordo anterior. Hoje, Elmar é aliado de Lira.

Lira é atualmente o candidato mais forte à presidência da Câmara. Se a eleição fosse hoje, provavelmente venceria. O pleito será realizado em 1º de fevereiro. Para ser eleito é necessário ter ao menos 257 votos, caso todos os 513 deputados votem. Quem vencer terá mandato de 2 anos à frente da Casa.

Baleia Rossi concorre com apoio de Maia e das cúpulas dos principais partidos de esquerda. Lira é líder do Centrão e tem o apoio do governo federal.

Além de Lira e Baleia, outros 7 deputados se colocam na disputa. Têm, porém, poucas chances de obter votação expressiva. Eis os nomes:

Fábio Ramalho (MDB-MG);
Capitão Augusto (PL-SP);
André Janones (Avante-MG);
Marcel Van Hattem (Novo-RS);
Alexandre Frota (PSDB-SP);
Luiza Erundina (Psol-SP);
General Peternelli (PSL-SP).

Fonte: Poder 360

Ler 33 vezes