MT: Wilson propõe CPI da sonegação fiscal e diz já ter 3 assinaturas

O deputado estadual Wilson Santos (PSDB) apresentou, durante sessão na manhã desta segunda-feira (4), um requerimento propondo a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a renúncia e a sonegação fiscal em Mato Grosso.

Ele lembrou que o mesmo assunto já foi alvo de duas CPIs instauradas na Casa, em 2014 e 2016, mas afirmou que é preciso "aprofundar as investigações".

"Precisamos apurar por que ainda há ainda grandes produtores que sonegam e escamoteiam pagamentos neste Estado", disse o deputado.

“Há denúncias, informações, documentos que comprovam que grandes produtores rurais sonegam impostos. Já houve CPIs aqui na Casa, mas nenhuma das duas produziu resultados concretos, nenhuma das duas puniu ninguém”, acrescentou o tucano.

 Segundo Wilson, a ideia é que, com a “reedição” da CPI, os órgãos de controle possam fazer as correções e as punições devidas aos sonegadores.

 Ele afirmou que encaminhará o requerimento da CPI para os gabinetes de cada um dos deputados.

 Até o momento, assinam o documento, além dele próprio, os deputados Thiago Silva (MDB) e Lúdio Cabral (PT).

 Conforme o Regimento Interno da Assembleia, para abertura da CPI são necessárias oito assinaturas.

 “Alfinetada”

 Líder do Governo na Assembleia Legislativa, o deputado Dilmar Dal Bosco (DEM) ironizou a proposta do colega.

 Ele citou inclusive, que Wilson foi membro da última CPI apresentada na Casa com o mesmo objeto de investigação.  

 “Talvez não teve êxito em alcançar seu objetivo, talvez porque à época era base do Governo”, disse.

 O tucano foi líder do então governador Pedro Taques (PSDB) na Assembleia Legislativa.

 Apesar de alfinetar o colega, Dilmar disse que o governo Mauro Mendes irá atrás dos grandes sonegadores do Estado.

Fonte: Mídia News

Ler 174 vezes