SC: Reforma tributária pode aliviar tarifa de energia elétrica, diz presidente da Celesc

Cleicio Martins defendeu revisão de encargos relacionados à composição tarifária do setor

Em encontro realizado na Capital Florianópolis, pela Câmara de Assuntos de Energia da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), o diretor-presidente da Celesc, Cleicio Martins defendeu a revisão de encargos e tributos para reduzir a tarifa de energia elétrica no Estado. De acordo com ele, até 45% da tarifa é composta por impostos e, portanto, não gerenciáveis pela companhia que possui mais de 2,9 milhões de consumidores.

“A composição tarifária vem sendo discutida constantemente. Na tarifa aplicada pela Celesc, 13,6% são custos de distribuição, ou seja, gerenciados diretamente por nós, e 40% a 45% vêm de encargos e tributos. A Celesc só pode influenciar para que esses impostos sejam revistos por meio da reforma tributária”, afirmou. Martins informou ainda que a companhia deve investir R$ 1 bilhão em SC este ano com a instalação de sistemas elétricos de alta tensão, programas e pesquisas de inovação.

O diretor-presidente da SCGás, Willian Lehmkuhl, atualizou as informações sobre a chamada pública que a companhia promove para compra de gás em conjunto com o Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio Grande do Sul e Paraná. “Ao fazer isso em conjunto, a gente ganha em escala e em volume para se tornar atrativo para os grandes supridores de gás. Conseguimos nessa primeira chamada pública 12 propostas de suprimento para Santa Catarina e, dessas, a gente espera conseguir o melhor resultado, especialmente para o industrial que consome 80% de tudo o que é fornecido aqui”, ressaltou.

Até o final do ano, as propostas passam por negociação para que em março de 2020 os novos supridores já estejam atuando em Santa Catarina.

Fonte: Engeplus

Ler 123 vezes