Paim defende mudanças na reforma da Previdência e cobra combate à sonegação

O senador Paulo Paim (PT-RS) afirmou nesta segunda-feira (21) em Plenário que o Senado tem a oportunidade de diminuir os prejuízos que a reforma da Previdência proposta pelo governo pode gerar aos cidadãos.

O texto (PEC 6/2019) está previsto para ser votado em segundo turno nesta terça-feira (22) pelo Plenário.

Ele defendeu mudanças na proposta do governo, como no trecho que acaba com a aposentadoria especial de quem trabalha em área de alto risco; e no que põe fim à conversão de tempo de trabalho em regime especial em tempo comum. Paulo Paim mencionou o estudo da Unicamp que questiona os cálculos do governo, que apontaram déficit nas contas da Previdência.

Ele defendeu algumas medidas, sugeridas pela CPI da Previdência, para garantir mais recursos para a Seguridade Social (e para as contas públicas) sem penalizar os trabalhadores.

— A CPI fez uma análise detalhada, demonstrou que o problema da Previdência é de gestão, de arrecadação, de sonegação, de apropriação indébita e de perdão de dívida. Só de apropriação indébita, são R$ 30 bilhões por ano. A CPI também constatou que, em 20 anos, entre desvio, sonegação, dívidas, o montante foi de R$ 6 trilhões, em valores atualizados — afirmou o senador.

Fonte: Agência Senado

Ler 41 vezes