Sem receita, Meirelles admite que estuda mudar a meta fiscal de 2017

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que a meta fiscal de um deficit de R$ 139 bilhões nas contas deste ano está mantida “no momento”, mas admitiu nesta segunda-feira (31) que o assunto está em análise pela equipe econômica do presidente Michel Temer.

Nos bastidores, conforme mostrou a Folha, integrantes do Palácio do Planalto e dos ministérios da Fazenda e do Planejamento reconhecem que pode ser necessário aumentar essa previsão de deficit até 31 de agosto —data-limite para a apresentação do projeto de lei orçamentária do ano que vem.

“Em relação à questão da meta fiscal, estamos analisando o assunto. No momento, a meta anunciada será seguida. Mas, de novo, estamos monitorando todos os fatores da economia, a evolução da arrecadação”, afirmou, acrescentando que houve uma grande queda na arrecadação de tributos.

Meirelles argumentou que o governo deve priorizar a transparência nas contas públicas. “Vamos aguardar a evolução da arrecadação. Acreditamos que pode haver recuperação grande da arrecadação, mas temos que fazer o que for melhor para transparência e aumento da confiança na economia brasileira”, disse.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou no sábado (29) a possibilidade de o governo rever a meta fiscal de 2017.

“A minha posição é que a meta fiscal fique onde está. Não é correto gerar mais [R$] 30, 40, 50 bilhões de gastos para a população pagar”, escreveu em mensagem postada nas redes sociais no último domingo (30). A alteração da meta depende de aprovação do Congresso Nacional.

Fonte: Folha de São Paulo

Ler 481 vezes