Para estimular empregos, governo avalia retomar proposta de capitalização para a aposentadoria

Plano em estudo pela equipe econômica é atrelar o regime, rejeitado na reforma da Previdência, à Carteira Verde e Amarela, reduzindo custos da contratação de jovens

Em busca de uma estratégia para amenizar o crescimento do desemprego provocado pela pandemia do novo coronavírus, integrantes da equipe econômica liderada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, avaliam ressuscitar o plano de incluir novos trabalhadores em um regime alternativo de Previdência: a capitalização.

Uma das ideias sobre a mesa de Guedes para reduzir o custo da mão de obra e estimular empresários a fazer novas contratações é retomar o projeto da criação da carteira de trabalho Verde e Amarela, voltada para jovens, com o novo regime de Previdência.

Esse modelo de contratação formal de mão de obra teria a atual contribuição para a Previdência no regime de repartição por um sistema de capitalização. Nesse regime, cada trabalhador decidie quanto contribuir para formar uma poupança que bancaria sua aposentadoria no futuro.

Dessa forma, os encargos trabalhistas seriam menores para o empregador, que não teria que arcar com a contribuição para o INSS dos novos funcionários por meio da Carteira Verde e Amarela.

O regime previdenciário de capitalização foi rejeitado pelo Congresso na votação da reforma da Previdência. A medida provisória que criaria a carteira Verde e Amarela perdeu validade antes de ser votada.

Entenda lendo aqui, na reportagem exclusiva para assinantes do GLOBO, como funcionaria o novo sistema na proposta em estudo pelo governo.

Fonte: O Globo

Ler 36 vezes Última modificação em Quinta, 04 Junho 2020 06:18