Reoneração da cesta básica virá em um segundo momento, diz Economia

Assunto será discutido junto a proposta de criação do Renda Brasil, para que os mais pobres sejam compensados pelo aumento da cesta básica

A reoneração da cesta básica não consta na proposta de reforma tributária que o ministro da Economia, Paulo Guedes, levou ao Congresso Nacional nesta terça-feira (21/07). Porém, não foi abandonada pela equipe econômica e será retomada em breve, na discussão sobre o Renda Brasil.

A ideia da equipe econômica é acabar com a isenção dos produtos da cesta básica. Mas, ao mesmo tempo, oferecer uma compensação para os brasileiros de baixa renda que serão atendidos pelo novo programa social do governo, já que essa medida vai aumentar o custo da cesta básica. Por isso, foi deixada para as próximas etapas da reforma tributária.

"O governo adiou a reoneração da cesta básica, garantindo, com isso, que a compensação aos mais pobres vai ser feita. [...] A ideia mantém-se, mas irá na segunda fase, na fase de reformulação dos programas de transferência de renda", contou a assessora especial do Ministério da Economia, Vanessa Canado.

O fim da desoneração de produtos como carnes, feijão, arroz, pão e leite deve ser discutido, portanto, junto com a ideia do governo de criar um novo programa social, que substitua o Bolsa Família após a pandemia do novo coronavírus. "Nesse momento, o governo está concentrado em reformular os programas de transferência de renda. E isso é fundamental para compensar as pessoas de baixa renda que eventualmente seriam oneradas com o aumento dos produtos da cesta básica", comentou Vanessa.

O secretário especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto, destacou, por sua vez, que o governo não quer demorar muito para enviar as próximas etapas da reforma tributária ao Congresso Nacional. Essa ideia pode ser apresentada, portanto, nos próximos 20 a 30 dias.

Fonte: Correio Braziliense

Ler 22 vezes