Para governo, eleição municipal trava reforma tributária, e 'medidas amargas' serão adiadas

30 Setembro 2020

Parlamentares avaliam ser difícil explicar a criação de um novo imposto, conforme foi proposto, em ano eleitoral.

Reforma administrativa: nova emenda pode acabar com licença remunerada para servidor em campanha

30 Setembro 2020

O deputado federal Tiago Mitraud (Novo-MG), presidente da Frente Parlamentar Mista da Reforma Administrativa na Câmara dos Deputados, está coletando assinaturas para uma emenda que acaba com a licença remunerada para servidores que concorrerem a cargos políticos. Segundo ele, a previsão é que em 2020 o país gaste R$ 1 bilhão com esses pagamentos.

Analistas veem ‘contabilidade criativa’ e ‘pedalada’

29 Setembro 2020

Anúncio do governo é criticado e especialistas apontam indícios de irresponsabilidade fiscal

As saídas apresentadas ontem pelo governo federal para financiar o novo programa de transferência de renda, incluindo o uso de recursos de precatórios e da educação, foram consideradas “contabilidade criativa” e sofreram duras críticas de especialistas em contas públicas. Eles dizem ver nas medidas claros indícios de irresponsabilidade fiscal - inclusive, de ilegalidade-, iniciativas que flertam com as noções de calote e pedaladas e tentativas de burlar o teto de gastos.

Sem um acordo com líderes, governo engaveta criação de 'nova CPMF'

29 Setembro 2020

Bolsonaro escutou de líderes no Congresso que, em ano eleitoral, seria impossível defender a inclusão do imposto no texto da reforma tributária - que está com a votação atrasada

BRASÍLIA - Não vingou a tentativa do ministro da Economia, Paulo Guedes, de incluir um novo imposto sobre transações financeiras – nos moldes da antiga CPMF – na proposta de reforma tributária que tramita na Câmara. Em reunião na última segunda-feira, 28, com o presidente Jair Bolsonaro, líderes da base de apoio do governo avisaram que, em ano de eleições municipais, seria impossível “ganhar a narrativa” de criação de um novo tributo, mesmo que o argumento seja financiar a redução dos tributos e encargos que incidem sobre a folha de pagamentos.