Temer troca comando do Ministério da Justiça

29 Mai 2017

Em meio à crise gerada pelas delações da JBS, o presidente Michel Temer exonerou do cargo o ministro da Justiça, Osmar Serraglio. Em seu lugar, será colocado Torquato Jardim, que ocupava o ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU). Em princípio, Serraglio, que é deputado federal filiado ao PMDB, voltaria para o Congresso Nacional, reocupando a vaga que estava com Rodrigo Rocha Loures, ex-assessor de Temer, flagrado recebendo propina da gigante frigorífica JBS.

Planalto aposta em semana de votações para avançar com reforma trabalhista

29 Mai 2017

Depois da aprovação de sete MPs no dia da manifestação da Esplanada e do agradecimento de Temer aos parlamentares, governo quer avançar com a reforma trabalhista no Senado

Ainda no meio da turbulência política provocada pelas delações feitas pelo empresário Joesley Batista, do grupo JBS, e sem conseguir vislumbrar quando e se essa crise vai acabar, o governo tenta reconstruir a sua história com o parlamento passo a passo. Depois de o presidente Michel Temer gravar um pronunciamento, divulgado nas redes sociais na última quinta-feira, celebrando a aprovação de sete medidas provisórias na Câmara, o Planalto planeja ter uma semana mais efetiva de votações, sobretudo de matérias consideradas estratégicas, como a reforma trabalhista no Senado. O que não será fácil, diga-se de passagem.

Proposta de eleições diretas é rejeitada por maioria dos parlamentares, diz jornal

29 Mai 2017

Conforme levantamento do jornal Folha de S. Paulo, foram ouvidos líderes dos dez maiores partidos que representam 72 senadores e 397 deputados. Com exceção da esquerda, todos se declararam contra às Diretas Já

Em meio à maior crise política do governo do presidente Michel Temer, o clamor nas ruas pela destituição do presidente do poder e a escolha de seu sucessor por meio de eleições diretas tem sido cada vez mais constante. Diante desse cenário, para que fosse viabilizado a convocação de eleições diretas, o Congresso teria que mudar a Constituição. No entanto, conforme revelou o jornal Folha de S. Paulo neste domingo (28), “a maioria dos deputados e senadores querem manter a exclusividade de escolher quem comandará o país até dezembro de 2018″.

Com crise política, governo já estuda alternativa à reforma da Previdência

29 Mai 2017

Diante do receio de que a crise política inviabilize a aprovação da reforma da Previdência, a equipe econômica já pensa em alternativas para conter o crescimento das despesas com benefícios. São medidas que poderão entrar em vigor imediatamente, por meio de medida provisória (MP) ou projeto de lei. Entre elas estão a elevação do tempo mínimo de contribuição na aposentadoria por idade nas áreas urbana e rural, atualmente em 15 anos, e a redução do valor da pensão por morte, que hoje é integral, independentemente do número de dependentes.