Notícias Fenafisco

A diretoria e o Conselho Fiscal do SINDIFISCAL- Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Tocantins eleitos para este biênio (2018/2019) foi empossada nessa sexta-feira, 05. Membros da categoria, imprensa, líderes sindicais de outras classes e personalidades políticas do Estado lotaram o salão de eventos da entidade.

O RN encerrou 2017 com novo recorde de arrecadação. O mês de dezembro rendeu aos cofres públicos R$ 469,6 milhões em ICMS, contra R$ 446 milhões de 2016. Um aumento superior a R$ 20 milhões.

O anúncio da arrecadação foi feito pelo Sindicato dos Auditores Fiscais nesta segunda-feira (08). Os auditores estaduais, mesmo com atraso nos salários e em luta pela regularização do calendário de pagamento, estão desenvolvendo atividades extras de inteligência e fiscalização itinerante, para combater a sonegação fiscal, incrementar as receitas e ajudar o RN a sair da crise.

A sociedade brasileira, os trabalhadores do serviço público e da iniciativa privada rejeitaram fortemente o projeto de reforma da Previdência, o que fez com que o Governo Federal recuasse nas pretensões de aprovar a matéria em 2017.

É um feito a ser comemorado, mesmo que o projeto volte à pauta este ano. O Governo Federal tinha como certa a aprovação da reforma, sem, evidentemente, acreditar na capacidade de mobilização do povo, que foi às ruas e deu o seu recado contundente aos parlamentares: #SevotarNaoVolta nas próximas eleições.

Em uma cerimônia especial o SIPROTAF fez a apresentação do seu planejamento estratégico para 2017-2020. O evento aconteceu na sala de eventos do hotel Holiday Inn em Cuiabá.

Segundo o presidente do SIPROTAF, Leovaldo Antônio Duarte, a elaboração do planejamento estratégico é uma iniciativa inédita na história do SIPROTAF. “O que nós buscamos é o avanço do SIPROTAF e além isso queremos a excelência no trabalho prestado ao sindicalizado e à população Cuiabana”.

Terça, 09 Janeiro 2018 12:43

Sintaf-CE: É hora de se mobilizar e reagir

O Decreto 9.255/2017, assinado pelo Presidente Michel Temer, publicado no DOU de 29.12.2017, em seu artigo primeiro estabelece:

‘Art. 1º  A partir de 1º de janeiro de 2018, o salário mínimo será de R$ 954,00 (novecentos e cinquenta e quatro reais).’

Até o início da tarde desta segunda (08), 204 pessoas, entre fazendários e familiares, confirmaram a participação na manifestação que o Sindsefaz fará na Lavagem do Bonfim. A diretoria, inclusive, ampliou o número de camisas a serem confeccionadas, para garantir o nosso visual no cortejo.

Publicado em Na Mídia

Regime de tributação destinado a microempresas e empresas de pequeno porte teve alterações em regras, limites e fórmula de cobrança

O Simples Nacional está com novas regras em 2018, o que vai fazer com que o sistema simplificado de cobrança de imposto de microempresas e empresas de pequeno porte se torne mais complexo. Dentre as mudanças estão o limite para enquadramento, classificações, alíquotas e o cálculo da cobrança.

Publicado em Na Mídia

O ministro defendeu a votação da reforma o mais rápido possível e pediu o engajamento do Congresso para discutir as medidas de ajuste fiscal

A equipe econômica trabalha com a votação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados em fevereiro, disse nesta segunda-feira (8/1) o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Segundo ele, a aprovação da proposta nos próximos meses é essencial para que o governo cumpra as metas de déficit primário, o teto de gastos e a regra de ouro (que limita o endividamento do governo) nos próximos anos.

Publicado em Na Mídia

A Receita Federal autuará as pessoas físicas que, após regularizarem offshore no exterior pelo programa de repatriação, pagaram até 22,5% de Imposto de Renda (IR) sobre o valor decorrente da extinção da sociedade, por considerar o dinheiro devolvido como “ganho de capital”. Segundo a Solução de Consulta da Coordenadoria-Geral de Tributação (Cosit) da Receita nº 678, o montante restituído é “rendimento”.

Nesse sentido, conforme a orientação, todos os fiscais do país devem cobrar a alíquota progressiva de IR, de até 27,5%. E como esses valores no exterior são vultosos, a diferença de 5% pode ser enorme.

Publicado em Na Mídia

Em 2018, regra será cumprida

Situação é crítica para 2019

Ministro é contra suspensão da norma

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou na tarde desta 2ª feira (8.jan.2018) que o governo não discutirá agora a tramitação de uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) para flexibilizar a regra de ouro, que impede o governo de se endividar para pagar gastos correntes. Segundo o ministro, o assunto só voltará à pauta depois da votação da reforma da Previdência.

Publicado em Na Mídia
Página 1 de 2