Notícias Fenafisco

Na manhã da última quinta-feira, 17, Auditores Fiscais e sindicalistas reuniram-se no auditório do Sindicato dos Auditores Fiscais de Tributos Estaduais de Rondônia (SINDAFISCO) para debater a proposta da ‘Reforma Tributária Solidária’ que defende uma melhor cobrança dos tributos em relação à realidade do país.

O Sindicato dos Auditores Fiscais do RN - SINDIFERN promoveu na última sexta-feira,18, o Seminário Reforma Tributária Solidária – Menos Desigualdade, Mais Brasil, evento que reuniu Auditores Fiscais de todos os entes, representantes dos três poderes, sindicatos, organizações não-governamentais setores produtivos e da classe política norte-rio-grandense.

No Brasil, as renúncias fiscais superam o total do gasto na esfera federal com saúde, educação, assistência social, transporte e ciência e tecnologia. Entre os declarantes do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) com renda mensal bruta superior a 160 salários-mínimos, a parcela dos rendimentos isentos de tributação é igual ou superior a 80% do total dos rendimentos. São dados alarmantes que reforçam a necessidade de mudança, sob pena de um aumento cada vez maior nas desigualdades e taxas de desenvolvimento cada vez menores no país.

Publicado em Na Mídia

O Deputado Federal João Campos (PRB) visitou a sede do Sindifisco-GO, para um bate-papo sobre seu trabalho no Congresso Nacional, em seu quarto mandato. Entre os projetos abordados está o da Lei Orgânica da Administração Tributária, PEC que propõe redefinir a estrutura das carreiras que integram os Fiscos Federal, estaduais e municipais, e que tramita na Câmara há cerca de 10 anos.

SINTAF-CE
22/05/2018
Fortaleza/CE

Palestrante: Pedro Lopes

SINDIFISCO/RS
22/05/2018
Porto Alegre/RS

Palestrante: Charles Alcantara

Publicado em Agenda Fenafisco

Os programas de recuperação fiscal, que concedem redução de multa e de juros sobre débitos fiscais e ampliam o prazo para pagamento das dívidas com o Fisco, viraram uma constante no Brasil. Grosso modo, poderíamos considerar que a cada dois ou três anos, haverá um Refis, com esse ou com outro nome (Paes, Paex, PRT, Pert). Essa percepção é muito prejudicial à economia e à arrecadação tributária, pois deixar de recolher tributos devidos, esperando pelo próximo programa, passou a ser quase que uma forma de "planejamento tributário".

Publicado em Na Mídia

Secretaria da Receita Federal informou nesta segunda-feira (21) ter identificado uma nova modalidade de golpe aplicado com uso de seu nome.

Publicado em Na Mídia

Ministro da Fazenda Eduardo Guardia prevê reforma da Previdência para depois da eleição. Greve de caminhoneiros motiva reunião de emergência do Planalto e comissão no Congresso

O Governo brasileiro deve admitir nesta terça-feira o que já é dado como previsível pelo mercado: o país não vai crescer tanto quanto se imaginava. O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, não falou em números, mas anunciou uma revisão. "Amanhã nós anunciaremos nossa revisão de parâmetros econômicos, incluindo o crescimento do PIB. Isso será anunciado em uma entrevista com o ministro do Planejamento", disse o ministro em conferência com jornalistas. Nas últimas quatro semanas, o boletim Focus, do Banco Central, registrou uma queda de expectativa de crescimento entre os agentes de mercado de 2,75% para 2,50%. E, como se não tivesse problemas o bastante para lidar, o Governo Michel Temer encarou nesta segunda-feira uma série de protestos de caminhoneiros contra o aumento do diesel.

Publicado em Na Mídia

O ex-governador do Ceará Ciro Gomes disse nesta segunda-feira, 21, que a ideia de um novo imposto, nos moldes da extinta Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) não está definida, mas que, se vier a acontecer, será focada em transações acima de R$ 2 mil, o que deixaria 80% das operações de fora, em seus cálculos.

Publicado em Na Mídia

Mais de um milhão e meio de brasileiros despencam para nível social mais baixo em 2017, o segundo ano consecutivo que o número de pobres aumenta]

Em 14 de maio de 2017, Maria Silva Nunes, sexagenária, negra e com uma expressão de cansaço permanente no rosto, passou da classe social mais baixa do Brasil para a pobreza extrema. Era o Dia das Mães e sua família, com a qual levava uma vida precária em Heliópolis, a favela mais populosa de São Paulo, ia se reunir para comemorar. Ali estavam suas três filhas: a doente que ainda mora com ela, a que teve o primeiro de três filhos aos 16 anos e até a que está na prisão, beneficiada pelo indulto do Dia das Mães. O dia começou bem e terminou no extremo oposto. “Fabiana, a do meio, parecia que estava dormindo na cadeira, cansada de tanta criança e tanta festa, mas não estava dormindo, estava morta”, lembra Maria Silva, retorcendo os punhos encostados na mesa do refeitório de uma escola. Não revela a causa da morte: aperta os lábios como se reprimisse um gesto, aguardando a próxima pergunta. “Ela estava morta, o queixo estava no peito. Morta.”

Publicado em Na Mídia
Página 1 de 2